Saltar al contenido
Compra  y venta de sociedades

Venda de empresas em Espanha inactivas e activas com conta corrente.

A venda de empresas em Espanha, é a melhor solução como vimos ao longo dos nossos anos de experiência, para todos aqueles empresários que precisam de iniciar uma nova actividade empresarial, adquirir um imóvel ou investidores, nacionais ou estrangeiros, que não têm tempo para formar uma empresa, uma vez que a venda de acções é feita instantaneamente, tem o CIF definitivo, tem sede social e mudanças sociais e inscreveu-se no registo urgentemente.

Temos sociedades limitadas ou sociedades anónimas já constituídas por escritura pública para transferência urgente.

A compra de empresas em Espanha já constituídas são também conhecidas como empresas expressas, empresas pré-incorporadas ou empresas inactivas.

Temos uma lista de empresas já constituídas em Espanha e registadas que podem ser colocadas em funcionamento no mesmo dia da sua venda.

A compra de uma sociedade limitada ou anónima em Espanha é a opção mais rápida.

Oferecemos-lhe empresas já constituídas com a possibilidade de operar com uma conta corrente. Operar com a sua conta corrente a partir de qualquer lugar. A conta corrente é opcional e está sujeita a autorização prévia da entidade. Verificar a disponibilidade.

Nas vendas urgentes da empresa, adaptamo-nos às suas necessidades, oferecendo-lhe uma taxa ajustada e detalhada. Obter um custo fechado em poucos segundos. Impostos, taxas legais e Registo Mercantil incluídos.

Sociedades por quotas e sociedades anónimas
As nossas sociedades anónimas e sociedades anónimas são constituídas para clientes do serviço que desejem adquirir uma empresa rapidamente. Com a aquisição de uma empresa pronta, se desejar, poderá iniciar o negócio no mesmo dia e também atingirá privacidade no Registo Comercial. As escrituras de compra e venda de acções não estão registadas no Registo. (AEAT se tiver a perseverança dos novos associados). Todas e cada uma das empresas foram constituídas com contribuições monetárias.

O que é a venda de empresas?
A venda de sociedades constituídas (são também conhecidas como venda urgente de sociedades, ou sociedades comerciais urgentes, uma vez que podem ser vendidas no momento) é a venda de sociedades que têm a escritura pública de constituição e registadas no NIF concedida pelo Tesouro.

A aquisição de empresas inactivas, são como dizem as empresas que são criadas e estão inactivas e prontas a funcionar desde o momento da sua venda, graças ao seu CIF definitivo.

A empresa mais procurada é a venda de empresas com conta corrente com um capital social de três mil euros.

A venda de sociedades anónimas é também realizada, mas em menor número.

Temos também sociedades limitadas e limitadas com mais capital e antiguidade.

A venda de empresas é realizada nas seguintes etapas;

Compra e venda de acções; Esta compra e venda não está registada no Registo Comercial, dando privacidade perante terceiros aos novos parceiros.

Alterações empresariais; Estas alterações são normalmente a cessação e nomeação do administrador, mudança de endereço da empresa, alteração ou extensão do objecto social… Estas alterações devem ser anotadas no Registo Mercantil relevante e serão completamente públicas.

Escritura de propriedade benéfica; Esta escritura deve indicar quem dos novos membros tem mais de vinte e cinco por cento das acções. Esta escritura não vai para o Registo Mercantil.

Este é o processo resumido na aquisição de empresas, todo este processo é feito perante um notário e toda a venda de empresas é feita ao abrigo do Decreto Real 1/2010 sobre o Direito das Sociedades de Capital.

Devemos dizer que as empresas com antiguidade que vendemos, apresentaram os impostos sobre as sociedades e as contas anuais.

Os parceiros permanecerão anónimos, participações ocultas
O facto de as acções permanecerem escondidas é um DIREITO. O regulamento actual deixa a NÃO filiação no Registo Mercantil das transmissões das participações, mas obriga-a ao valorizar NÃO inscreve estes actos. É uma atribuição que tem, e pode fazer uso dela sem fazer nada de ilegal). Assim, a nova Lei das Sociedades Anónimas, Lei 2/95 de 23 de Março, ratifica a NÃO necessidade de registo de acções no Registo Comercial, mantendo o documento público e detalhando que a constituição de direitos reais para além do penhor exigiria uma escritura pública. No Registo Mercantil aparecerão sempre e em qualquer altura os associados iniciais, e serão os novos associados que terão de provar com o acto notarial que são os proprietários das acções a quem quer que seja obrigado a fazê-lo.

Call Now Button